Grupos de Pesquisa

Censo 2016

Censo 2014
Relação dos grupos certificados

Acesso ao site de buscas e estatísticas do CNPq

Cadastramento de novos líderes
Para o cadastramento de novos líderes de grupo é necessário enviar um e-mail para depesq@sr2.uerj.br, informando o nome do líder. Será analisada a produção declarada no Currículo Lattes. O novo líder deve ter pelo menos três anos de doutorado, resultado de BPC igual a 20hs de carga horária de pesquisa e ser orientador de mestrado ou doutorado.

Certificação de Grupos de Pesquisa
Para ser certificado, o novo grupo de pesquisa deverá possuir, pelo menos, um segundo membro pesquisador com doutorado e ter estudantes, principalmente os orientandos, cadastrados.

Sobre o Diretório
O Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, projeto desenvolvido no CNPq desde 1992, constitui-se em bases de dados que contêm informações sobre os grupos de pesquisa em atividade no País. O Diretório mantém uma Base corrente, cujas informações são atualizadas continuamente pelos líderes de grupos, pesquisadores, estudantes e dirigentes de pesquisa das instituições participantes, e o CNPq realiza Censos bi-anuais, que são fotografias dessa base corrente.

As informações contidas nessas bases dizem respeito aos recursos humanos constituintes dos grupos (pesquisadores, estudantes e técnicos), às linhas de pesquisa em andamento, às especialidades do conhecimento, aos setores de aplicação envolvidos, à produção científica e tecnológica e aos padrões de interação com o setor produtivo. Além disso, cada grupo é situado no espaço (região, UF e instituição) e no tempo.

Os grupos de pesquisa inventariados estão localizados em universidades, instituições isoladas de ensino superior, institutos de pesquisa científica, institutos tecnológicos e laboratórios de pesquisa e desenvolvimento de empresas estatais ou ex-estatais. Os levantamentos não incluem os grupos localizados nas empresas do setor produtivo.

O Diretório dos Grupos de Pesquisa possui três finalidades principais:

- No que se refere à sua utilização pela comunidade científica e tecnológica no dia-a-dia do exercício profissional, é um eficiente instrumento para o intercâmbio e a troca de informações. Com precisão e rapidez, é capaz de responder quem é quem, onde se encontra, o que está fazendo e o que produziu recentemente.

- Seja no nível das instituições, seja no das sociedades científicas ou, ainda, no das várias instâncias de organização político-administrativa do país, a base de dados do Diretório é uma fonte inesgotável de informação. Além daquelas informações diretamente disponíveis sobre os grupos, seu caráter censitário convida ao aprofundamento do conhecimento por meio das inúmeras possibilidades de estudos de tipo survey. A construção de amostras permitirá o alcance de respostas sobre campos não cobertos pelos dados, como, por exemplo, o financiamento, a avaliação qualitativa da produção científica e tecnológica, bem como o padrão fino das interações entre grupos de pesquisa e o setor produtivo. Desta forma, é uma poderosa ferramenta para o planejamento e a gestão das atividades de ciência e tecnologia.

- Finalmente, as bases de dados, na medida em que é recorrente (realização de censos), têm cada vez mais um importante papel na preservação da memória da atividade científico-tecnológica no Brasil.

O Depesq é o órgão da Uerj responsável pelo cadastramento dos líderes de grupos e a certificação dos mesmos na base de dados. As informações sobre os grupos são fornecidas pelos respectivos líderes ao CNPq, por meio de um questionário eletrônico padronizado, disponível na página de Líderes de grupo. Somente são considerados grupos válidos aqueles certificados pelo Dirigente de Pesquisa da instituição a que pertencem.

Atualmente as informações de cada Grupo de Pesquisa podem ser atualizadas a qualquer tempo, assim como já ocorre com o Currículo Lattes.

Dúvidas e outras informações

Atualizado em 22/09/2016